Coroas Pintados

Por um governo realmente democrático e transparente para o Distrito Federal!

Movimento criado a partir da reunião para coleta de assinatura solicitando à PGR intervenção Federal no Governo do Distrito Federal.

Membros

 

Mensagens de blog

Pedido de Impeachment​ do Governador Agnelo Queiroz

Caros Caras e Coroas Pintados..

Já tentamos a intervenção uma vez.... Vejam que o filme se repete.  Agora a iniciativa é do Adote um Distrial. A mobilização de todos…

Continuar

Postado por Coroas Pintados em 14 abril 2012 às 14:30

Secretário Magela se recusa a falar sobre o PDOT no CONAM-DF



O Secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação realmente não quer que o Meio Ambiente seja respeitado e com sua decisão de não… Continuar

Postado por Coroas Pintados em 3 julho 2011 às 23:59

PDOT – Carta da Federação de Entidades em Defesa do Distrito Federal

 

EXCELENTÍSSIMO SENHOR

GERALDO MAGELA

SECRETÁRIO DE ESTADO DA

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO E HABITAÇÃO DO GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL – SEDHAB-DF

C/CÓPIA para o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, Procuradoria Geral da República do Distrito Federal e Presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Deputados Federais e Senadores do Distrito Federal, Partidos Políticos do DF e Gabinete Civil da…

Continuar

Postado por Coroas Pintados em 3 julho 2011 às 23:00

2008 - PDOT: comunidade acusa GDF de desrepeito à área tombada - História se repete!

PDOT: comunidade acusa GDF de desrepeito à área tombada

Publicado no site da Câmara Legislativa em 2008!

Tânia Batella entrega…

Continuar

Postado por Coroas Pintados em 3 julho 2011 às 22:55

INTERVENÇÃO NO DF!

Pesquisa do Senado Federal revela: 3 em cada 4 brasileiros acompanham a crise em Brasília

74% da população brasileira acompanha a crise e 59% acha a intervenção federal necessária
                                     ***

Por 7 votos a 1, STF nega pedido de intervenção federal no DF

Ana Maria Campos
Gabriela Lima
Publicação: 30/06/2010 19:03 Atualização: 30/06/2010 19:54

Sessão do STF: pedido de intervenção federal teve apenas um voto favorável.
Por sete votos a um, o Supremo Tribunal Federal (STF) se posicionou contra a intervenção federal no DF. O presidente do STF e relator do pedido, Cezar Peluso, julgou improcedente a representação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel. Os ministros Dias Toffoli, Cármem Lúcia, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello e Celso de Melo seguiram o voto do relator. Vice-presidente do Supremo, Ayres Britto foi o único a se manifestar a favor da medida.

Cezar Peluso considerou que não há mais elementos que justifiquem a intervenção no DF, medida descrita como "excepcionalíssima" e que "não se faz mais necessária". Segundo Peluso, a capital federal vive um contexto diferente daquele em que ocorreu o pedido de Gurgel, em fevereiro deste ano. O presidente do STF citou a prisão e afastamento definitivo do então governador José Roberto Arruda e a eleição indireta do atual governador Rogério Rosso, que, segundo ele, vem administrando o governo local com normalidade.

Essa normalidade foi contestada por Ayres Britto. O ministro disse ter se informado sobre a administração de Rosso e ponderou: "Encontrei um estado de letargia, não funcionamento". Disse ainda que "o DF padece de leucemia ética, democrática e cívica no âmbito legislativo e executivo".

Gilmar Mendes, que chegou a dizer, enquanto presidente do STF, que a capital vivia uma metástase intitucional, ressaltou o caráter radical do processo interventivo. Ele citou a perda da autonomia da unidade da federação e o fato de a intervenção dar poderes legislativos ao interventor.

Marco Aurélio Mello concordou que medidas saneadoras foram implementadas. Ele argumentou que uma intervenção às vésperas das eleições causariam "transtornos inimagináveis" ao DF.
VEJAM AGORA O QUE A POPULAÇÃO DE BRASÍLIA ACHOU:
(Comentários no Blog do Correio Brasiliense)

Esta matéria tem: (136) comentários (até 02/07/2010)

Autor: EMANOEL LIMA
Desculpe-me Sr.Henrique Soares, mas quem deve ESTUDAR é você, pois o Sr. escreveu "IGUINORANCIA" duas vezes ao invés de IGNORÂNCIA, portanto, o Sr. além de IGNORANTE no português é também na política,pois achar que a intervenção no DF vai ficar pior do que já é, no mínimo, fechar os olhos prá realidade.

Autor: Antonio Marcos
Prezado Ayres Britto te comparo a grandes Homens que fizeram muito por Brasília, como Juscelino Kubistchek, Oscar Niemeyer, Lúcio Costa e futuramente Reguffe, agora entregar nas mãos de Roriz, Abadia, Paulo Otavio, Arruda e outros, quanto diferença...

Autor: Paulo martins
PARABENISO aos Ilmo Srs. Ayres Britto um homem um heroi .todos ministros sabem que poderiam entrar na historia do País. como grandes homens e concertarem a merda que esses politicos fizeram em nossa capital. entretanto aos olhos do povo sofrido nada fizeram me envergonho de 7x1 uma covarda.

Autor: Paulo martins
qual a diferença entre a CLDF e o STF ? Quem é serio nestas instituições me envergonho de ver estes nomes no lugares errados. um rombo de 150 MI. NÃO DÁ EM NADA DESGRAÇADOS. DESGRAÇA SÓ QUER COMEÇO. Só falta o Brasil PERDER PARA HOLANDA .JÁ PERDERMOS A ETICA MESMO!

Autor: JAILSON SA
DEMOCRACIA ISSO EXISTE NO BRASIL? NÃO SERIA A VONTADE QUE A MAIORIA DA POLUÇÃO?

Autor: JAILSON SA
Vergonha dessa capital .Somos pais de 3º mundo! Que não siguinifica nada a frase na bandeira ordem e progresso, que não existe futuro uma manha mais digna.

Autor: Aristeu Almeida
É uma declaração de que, no Brasil, a corrupção vale a pena. Parabéns ao PGR, à CGU, ao Ministro Ayres Brito e todos aqueles que não gostam de corruptos.

Autor: jorge lima
SINTO-ME, COMO A CLASSE DECENTE DO DF, UM PALHAÇO. ISSO PORQUÊ A CLASSE INDECENTE DEVE ESTAR BATENDO PALMAS....

Autor: nelson martins martins
CÃO QUE LATE NÃO MORDE E ESTE STF É UM CÃO QUE LATE E NÃO MORDE, ÊTA COISA INUTIL, NUNCA OUVI FALAR QUE ESTE TRIBUNAL TENHA CONDENADO ALGUÉM.

Autor: nelson martins martins
pra vcs do SUPREMO TRIBUNAL DE FALCATRUAS UMA VAIA UUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU

Autor: nelson martins martins
O que vcs queriam estes caras ganham bem, tiram meses de férias, tem motorista, segurança, plano de saúde, a grana que os malas dos politicos estão roubando não os afetam em nada e vcs acham que eles iam apoiar a intervenção? e eu não duvido se muitos deles não tenham parentes empregados no GDF.

Autor: Wagner Jr
Essa horas da VERGONHA de dizer a alguem que moro em Brasília. E viva a "democracia" candanga: roriz governador, alberto fraga ex-detento senador, vigão deputado, oração da propina, meias, bolsas e por ai vai caminhando o futuro da capital federal...

Autor: EMANOEL LIMA
Pronto! Agora sim Brasília continuará entregue às TRAÇAS E TRAPAÇAS. Valeu STF pela goleada de irresponsabilidade e imoralidade que "V.Exas." deram em favor da corrupção, da ilegalidade e da criminalidade em Brasília e no DF. AYRES BRITTO É EXEMPLO NÃO SÓ DE MINISTRO DO STF, MAS DE SER HUMANO.

Autor: Jailto Bento
A pergunta que não quer calar : Quanto custou esse voto contra a corrupção ???

Autor: Raimunda Santos
Têm razão corrupto apoia corrupto, num País onde 70% do povo apoia um presidente corrupto, é difícil ter um governante que preste, pelo menos com os militares só sustentávamos ali babá, agora temos que sustentá também os 400 mil ladrões.E está caminhando para a volta deles, apesar de não acreditarem.

Autor: Jailto Bento
Deveríamos mudar o significado do STF para "SISTEMA FALIDO". Essa CÔRTE é uma vergonha. Juízes que vivem num mudo diferente. Prá quê existe tribunais superiores, se eles sempre votam contra as primeiras instâncias ??? Será que é uma forma de afrontar o povo ???

Autor: Edvaldo Souza
Quem tem que intervir no DF somos nós eleitores que nas eleições deste ano, vamos fazer a diferença nas urnas e mostrar que podemos mudar e fazer uma limpeza na casa que se encontra suja! Vote com conciência e e faça um raio x nos candidados principalmente nestes que estão querendo candidatar de novo

Autor: EMANOEL LIMA
PARABÉNS Ministro AYRES BRITTO, mais uma vez V.Exa. demonstrou porque é o MELHOR E MAIS COMPETENTE MINISTRO DO STF. Quantos aos demais ministros...deveriam mesmo é estar exercendo a profissão de advogados e defendendo bandidos em porta de cadeia ou delegacias, pois vcs envergonham essa Corte Suprema.

Autor: Newton Mauro
Parabéns ao Ministro Aires Brito! Aos outros, paciência, não posso julgar, mas que deve ter rolado um lobby, um forte esquema de bezerras de ouro, de meias cheias e outras orgias financeiras com dinheiro publico. Quem perde mais uma vez com essa palhaçada é BRASILIA E SUA POPULAÇÃO. QUE VERGONHA STF!

Autor: Eduardo Camara
Saudades de um Moreira Alves, de um Sepúlveda, de um Brossard, de um DJACI FALCÃO. Agora, aré Ministro do incomPeTente Partido está lá votando bestediras e sem nexo.

Autor: Eduardo Camara
Ministro Aires Brito. Meus parabéns. O único que, por ser nordestino e poeta, SENTE o povo brasileiro. O resto, um bando de janotas, desde o beicinho nojento do homem de Dourados ao iletrado Bostoffoly reprovado em concursos para Juiz de Direito substituto. Uma lástima. O pior STF desde a criação.

Autor: Raimunda Santos
Tudo nesse País é obrigado onde está a democracia? Tudo quem decice são os poderosos. Agora a passagem vai subir por pressão dos petistas da câmara, pois o partido do governador não apoia o PT aqui em Brasília. Então só precisamos de um General no lugar daquele estrupício que chamam de presidente.

Autor: UBIRATAN UBIRATAN BRASILIENSE CUNHA
NÃO RESTAM DUVIDAS QUE A INTERVENÇÃO NO DF É COMPLEXA,MAS POUPO-SE EM PRIMEIRA LINHA E SEM RODEIOS DE FORMA INCONCEBÍVEL E NÃO ACEITÁVEL PELA POPULAÇÃO BRASILIENSE. NÃO SE PODE OLVIDAR QUE HAVIA A NECESSIDADE IMPAR DE REALIZÁ-LA , POR MOTIVOS OBVIOS, A UMA PORQUE: MUITOS FORAM POUPADOS QUANTO AO QUE

Autor: Eduardo Camara
Quero aqui cumprimentar o Procurador Geral da República. Fez o que pôde, mas com esses Ministros INDICADOS, sem concurso público, sendo que um deles tomou bomba duas vezes para o concurso de Juiz Substituto em São Paulo, o que se esperar de bom? O Brasil está precisando de uma revolução de verdade!!!

Autor: Eduardo Camara
O STF está sempre na direção oposta do povo brasileiro. Como vivem uma vida nababesca , sem nenhum contato com a realidade, como a vida dos Ministros é um horror, é uma VIDA EM TESE, eles nada sentem, são anestesiados. Ainda bem que temos o Tribunal do Júri em que o Juiz é o sábio cidadão comum.

Autor: Renato Araujo
E uma vergonha pensar que o problema do DF, foi resolvido com a pressão para que algo fosse feito no intuito de se evitar uma intervenção, agora que não será mais possivel tal intervenção a corrupção volta a reinar novamente sempre com o aval do STF.

Autor: Antonio Costa
O que adianta prender os corruptos??? Se o Estado não consegue recuperar o dinheiro roubado. Esta ineficácia estimula esses pedófilos do dinheiro público a continuarem no crime de corrupção. Que país é esse??

Autor: SILVIO sz
trantornos imaginaveis sera de agora por diante, pois ai que vao meter a mao no dinheiro publico pois sabem que nao havera puniçao mesmo, intervençao no STF tb

Autor: Henrrique Soares
Caso acontece uma intervenção no DF o interventor e indicado pelo Presidente da Republica e vcs acham que vai ser quem? Um anjo com a salvação para todos os problemas do DF. Vamos deixar a inocencia de lado.Intervenção e pior p DF ja estamos ne merda. Usem essa inteligencia de voces para votar certo.

Autor: Henrrique Soares
Como voces sao iguinorantes, voces nao tem ideia do que acontece numa cidade quando o governo federal intervi nela.voces estao achando que e a salvação do mundo isso. Que vao acabar com as robalheiras. Quanta Iguinorancia da parte de voces. Vao estudar. E fazer algo util

Autor: Rafael PP
Estava na cara que isso ia aconteçer. Começando pela demora em votar essa pauta. No Brasíl as coisas são assim mesmo: Politico rouba e a população é que se dá mal.

Autor: joao filho
Sabem o que suas Excelências devem estar dizendo? "O que esses idiotas escrevem ou pensam não nos interessa. Nós não precisamos dos hospitais falidos, da segurança combalida nem das escolas públicas derrocadas, pichadas e em petição de miséria. Somos ministros, e nao povinho. Não nos misturamos".

Autor: Hildo Evaristo
STF, decisão que não atendeu os anseios da sociedade. O STJ sentenciou - Transitado em Julgado - Ação com mais de 01 BILHÃO de reais em desfavor do Estado. Quanta diferença. O que disse não é falácia, mas FATOS. OK!!

Autor: katia gama
Por qual motivo eles haveriam de desenterrar mais podres?....

Autor: LUCYANO SEGUNDO
QUERO CONVIDAR ALGUNS DESSES " MINISTROS " MEIA BOCA, COMPRADOS. A IREM NO AÇOUGUE CEILÂNDIA, MAIS CONHECIDO COMO HOSPITAL REGIONAL DA CEILÂNDIA.

Autor: Elizabete Fernandes
Parabéns ao excelentíssimo Ministro Ayres Britto. O único a favor da ética.

Autor: Marcelo Silva
Eu ouvi fogos de artifício em algumas casas do Lago Sul e Park Way logo depois da proclamação do resultado do julgamento... Comemoração?

Autor: Henrique Monteiro
Vergonha, tristeza, revolta & impotência.

Autor: Roberto E Duardo
Mais são uns filhos da vossa excelência mesmo. Vão todos pra vossa excelência quer pariu!

Autor: Roberto E Duardo
Lembro que um certo ex disse mais ou menos assim em um de seus comícios: "Um desembargador amigo meu garantiu que quando chegar em suas mãos rasgará e jogará a denúncia no lixo..." Dois mais dois é quanto mesmo? Se for dinheiro público é zero (para o povo);

Autor: Roberto E Duardo
Quem poupa o lobo, sacrifica a ovelha (Victor Hugo)

Autor: RONIE RM
Alguém já se perguntou se o Governo Federal tem interesse na intervenção para ele ter que descascar esse abacaxi em ano eleitoral? Qual seria o risco colocando um interventor federal neste lamaçal?

Autor: Antonio Silva
O STF apoiou a continuidade da roubalheira... Agora que está tudo legalizado, que tal reabrirmos o Instituto Candango de Solidariedade? Sou candidato a uma vaga lá! Tenho uma meia tão grande qto a do Papai Noel...

Autor: Djalma MArtins
Se eu estivesse com minha bunda real nas poltronas (ou pol Tronos) do STF, votaria 11 X 0 , afinal , não sou daqui, não moro aqui e só estou aqui por que fui indicado por um amigo.(nem competência tenho.....)

Autor: Carlos Matos
Aprendam a votar bando burros a ficarem querendo intervenção, sem nem mesmo saberem o que é e para que serve, quais hipóteses para se ter uma intervenção. Parem de vender os votos por um copo de cerveja e sejam sensatos e conscientes na eleger nossos representantes.

Autor: luciano lira
TUDO QUE É QUE CONTRA OS DIREITOS DOS BANDIDOS E DAS QUADRILHAS DE POLITICOS É INCONSTITUCIONAL. FICHA LIMPA? ENCONTRE UM SÓ POLITICO FICHA LIMPA. GARANTO QUE NAO TEM NENHUM. LA DENTRO TEM QUE DANÇAR CONFORME A MUSICA.

Autor: Leonardo Oliveira
Já pode transferir o STF pra nova câmara de corruptos de Brasilia (CLDF). Tudo farinha do mesmo saco...como pode votar contra a única chance de acabar com esses bandidos da CLDF. Vergonha Nacional!!!

Autor: Helder Macedo
Péssimo exemplo para a juventude, pois, mais uma vez, ensina-se que a corrupção no Brasil não recebe a merecida punição. Senhores ministros do STF, vocês perderam uma oportunidade de ouro contra o curral eleitoral que se tornou o DF.

Autor: Helder Macedo
VERGONHA!!!

Autor: Maxwilson Duarte
Deveria ter nascido no Irã! Lá sim é um país bom de se viver!! kkkkkk

Autor: André Lima
Mais uma vez digo precisamos votar em novos politicos, pois se continuar nos mesmo vamos continuar assim... Os transtornos são imaginaveis, não haveria nenhum candidatos a governador!

Autor: Branca Costa
E quem vai pagar a conta???

Autor: Cam Mota
Nessa foto só faltou o pizzaiolo. STF, que decisão lastimável! Mais uma vez, retira-se as máscaras!

Autor: claudionor alves de freitas freitas
A Constituição foi respeitada! Não se pode decidir de acordo com a vontade momentania do povo, pois , se assim fizesse o STF, a insegurança juridica se instalaria no País. A mudança no regime democrático só será feita através do voto consciente do cidadão.

Autor: Rogério
Que blá, blá, blá de revolta por que não houve a intervenção! Ora, a intervenção prejudicaría em muito a elição de um petista no DF. Roriz com o caso da bezerra, Arruda com os subornos... Sobra quem? PT. Viva a democracia!!! E assim mesmo... Só vai dar PT no DF. E Lula não sabe de nada, não viu nada!

Autor: Roberto Assis
Mais uma vez o STF vai de encontro aos ânseios da população. Parabéns ao Ministro Aires Brito pelo voto sensato. Pior que a democracia vai ser golpeada mais uma vez quando as ações contra os fichas sujas chegarem ao Supremo e os Ministros considerarem inconstitucional a lei. Alguém duvida???

Autor: Adri Santos
É TUDO FARINHA DO MESMO SACO, A INTERVENÇÃO DEVER SER EM TODAS AS ESFERAS JUDICIARIO, LEGISLATIVO E EXECUTIVO, QUEM JA SE VIU BANDIDO JULGAR BANDIDO, DEVE TER ROLADO UM PROPINA E ESTÃO COM O RABO PRESO. VAMOS RECORRER AONDE NA CORTE INTERNACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS?

Autor: Paulo Roberto
O político nesse país entre sem nada e sai riquíssimo e a justiça não vê? Essa decisão é um incentivo para roubalheira. O leão tem cara de leão, unha de leão, rabo de leão ...tudo de leão, mas quando não quer ver não tem modo de demonstrar e diz que não é leão. Assim fuciona a justiça no país.

Autor: luciano lira
PARABENS MINISTRO AIRES BRITO PELO SEU VOTO A FAVOR DA INTERVENÇAO NO DF. PARABENS POR MANIFESTAR CONTRA A CORRUPÇAO E HONRAR O DESEJO DA MAIORIA DA POPULAÇAO BRASILIENSE VOTANDO A FAVOR DA INTERVENÇAO NO DF. O SENHOR É O UNICO AI QUE VIVE E CONHECE A REALIDADE DESSE PAIS.

Autor: luciano lira
DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL OQUE SE PODE ESPERAR É ISSO.

Autor: NAISSON HENRIQUE BASILIO DA SILVA
uuuhuuuu!!!! viva!!!!! iiiiiiiiiiiiuuuuuuuuuuu......... vamos comer pizza...... vamos ter Roriz de volta..... pessoal... que maravilha........ que pais é este!!@@??? Senhores Ministros, creio que morem em bolhas.... pois evitar a intervenção aqui em Brasília??? õ que fazem o dia todo???????

Autor: Paulo Roberto
Citações de Padre Vieira ..., blá, blá, blá, impressionam com a cultura, condenam a roubalheira, da indicação para um lado e vai para outro. STF, vergonha.

Autor: Paulo Roberto
STF de vez de ajudar aprofunda mais a crise. É uma instituição falida. Só falta agora acabar com a lei Ficha Limpa e abrir a porteira para toda quadrilha que assalta o Estado.

Autor: Paulo Roberto
Isso é o que dá essas indicações políticas para um tribunal superior. A indicação por políticos para suprema corte é um grande mal para o país.Reformas gerais são necessárias.AIRES E BRITO parabéns!

Autor: carlos moreira
Considerando que esses ministros estão mais viajando pelo mundo a palestrar do que aqui em Brasília TRABALHANDO, certamente eles não sabem no inferno que vive a população. O recado é claro: roubem meus amigos, roubem! Tristíssimo!

Autor: Paulo Roberto
Magistrados não vive a realidade fria. São conservadores extremados. A justiça perdeu a oportunidade de mostrar ao país a dignidade. Lamentável a decisão. O País realmente tem que ser reformado. As instituições estão contaminadas.Vergonha para os magistrados e para o DF.

Autor: luiz ricardo
A SOLUCAO SERIA VOTAR NO GALVAO BUENO, VOTEM PRA ELE SE APOSENTAR.

Autor: Paulo Barros
Eta, agora os deputados estão comemorando, vão sair de férias, não fazem PN como nunca fizeram, vão viajar as nossas custas. Fechem essa Camara Distrital, todos que passam por alim fazem seu pé de meia, estão ricos as nossas custas.

Autor: jose bonifacio
OS UNICOS QUE PODE MUDAR ALGUMA COISA SOMOS NOS COM O VOTO

Autor: jose bonifacio
A MELHOR INTERVENÇAO E O NOSSO VOTO! PELO AMOR DE DEUS NAO TROQUE SEU VOTO POR PAO E LEITE

Autor: Paulo Barros
Não foi novidade, todos os ministros do STF são políticos mesmo, exemplo é o Gilmar Mendes, recebeu o pedido em fevereiro, engavetou sabendo que em abril terminaria o mandato dele e deixou para o seu sucessor e deu no que deu, parabéns as instituições estão funcionando bem, faltam remédios, segurança

Autor: Mauricio Nacif
Já dizia um velho "filósofo": Se queres justiça, vá para um prostíbulo: Se queres sacanagem, procure a justiça. Nós brasilienses devemos intervir nas próximas eleições e votar em quem confiamos, aqueles com a ficha limpa. Todos sabemos muito bem quem são os larápios. Só corrupto votará em corrupto.

Autor: Rogério Silva
É isso mesmo, a prodridão que deve estar envolvida nessa decisão não está no gibi. Mais uma vez a justiça fez o seu papel, que era o esperado. Interesses eleitorais da parte do gov. federal. Rogério Rosso, cria do Roriz e ex-presidente da codeplan, ninho da corrupçao!! Parabéns judiciário!!!

Autor: igesiel silva
Porque não fizeram um plebicito com a população pra saber a real situação de quem verdadeiramente depende de seguranca publica, do sistema falido da saúde pública do df ? Essa situação teria que pasar pela mão do povo não de ministros que tem os melhores planos de saudes e segurança particular.

Autor: claudio azevedo
VERGONHA DE SER BRASILEIRO!!

Autor: eduardo eduardosouza
Ora, o RJ q vive uma guerra civil, com vítimas de violência cujo nº. supera a de muitas guerras mundo afora, não sofre intervenção, face a aliança do governo carioca c/ o federal, vcs acham q aqui ocorreria? Isso tudo foi só p/afastar o Arruda, envergonhar o DF e beneficiar os interesses eleitoreiros

Autor: Heliete Bastos
É, senhores Ministros, os senhores perderam uma grande oportunidade de dar um presente à Brasília, livrando-a dessa canalhada que se apossou da cidade.Todos devem agora estar rindo da população. Tiveram o que desejavam, ou seja, vai continuar tudo como antes.Era só isso que estavam esperando.

Autor: Carlos Wilson
Corretíssima a análise do STF...Brasília não precisa de intervenção, o que precisa é de fiscalização!!!

Autor: carlos Bina
O SISTEMA NÃO QUER PREJUDICAR O SISTEMA!!!!! SIMPLES!!!!!!!!!!!!!! CONTINUA TUDO DO MESMO JEITO!

Autor: luciano lira
OS MINISTROS DO STF NAO CONHECEM A REALIDADE DESSE PAÍS POIS VIVEM EM UM MUNDO DE SONHOS EM SUA ILHA DA FANTASIA. FAZEM JUSTIÇA BASEADOS EM CONTOS DE FADAS.

Autor: Valter Silva
Sem a intervenção, mais uma porta foi aberta para que bezerras de ouro sejam compradas no ano que vem. Alguém aí duvida que isso irá acontecer? acho que as minhas esperanças acabaram por aqui.

Autor: Adriano Silva
Se foram as esperanças de ver Brasília sem essa corja de bandidos da política... Quanto será q custou o suborno aos ministros para eles votarem contra? Deus tenha piedade de nós brasilienses...

Autor: luciano lira
O BRASIL NAO PRECISA GANHAR A COPA DO MUNDO POIS JA TEMOS O TITULO MAIS IMPORTANTE QUE É O DE CAMPEAO EM CORRUPÇAO.

Autor: Rosangela Barros
Deve ser muito normal mesmo para esses ministros lixos nas ruas,população com policia em greve,hospital com dinheiro desviado,claro eles vivem em um mundo a parte e não vivem essa realidade. QUE VERGONHA

Autor: fabricio Feitosa
É uma pena, perdemos grande oportunidade de limpar de fato todas as mazelas da política local...Mas talves a intervenção não seja uma prerrogativa dos exclusiva dos "Excelentíssimos" ministros do STF, tenho certeza que a intervenção pode começar a partir de nós, do nosso voto!!!! PENSEM!!!!

Autor: luciano lira
É NISSO QUE DA EM UM PAIS ONDE O POVO SO SE UNE QUANDO TEM COPA DO MUNDO.

Autor: luciano lira
Provérbios 17.15 diz:"O que justifica o ímpio, e o que condena o justo, tanto um como o outro são abomináveis ao SENHOR." ...

Autor: Jerusa Dantas
Gilson Medeiros, com certeza isso vai acontecer, viu? Vamos aguardar para ver essa brincadeirinha em que pé vai chegar.

Autor: luciano lira
Seus veredictos devem ser justos (Pr 31, 9; Dt 16, 18.20),

Autor: Jerusa Dantas
Isso tudo era marmelada, música para boi dormir. O STF e CIA só tem força para condenar o eleitor e mais nada. Os ministros têm tudo do bom e do melhor às custas dos miseráveis trabalhadores. VOTO NULO.

Autor: luciano lira
Os juízes não devem julgar com parcialidade, mas com justiça (Lv 19, 15; Dt 1, 16).

Autor: edilberto siqueira
voces ainda acredita nessa justiça? devem ter recebido um salário extra.

Autor: otavio jesus jesus
É brincadeira ! Quem está plenamente correto é aquele cidadão que um dia disse: A ÚNICA SAÍDA DESSE PAÍS DE FAZ DE CONTA É O AEROPORTO.

Autor: luciano lira
A BIBILIA DIZ TUDO SOBRE O MUNDO ATUAL. SO NAO VE E NAO ACREDITA E NAO ACEITA A REALIDADE QUEM NAO QUER.

Autor: Juarez Silva
Quem sabe quantos ministros e outras autoridades judiciais estão comprometidos com essa história . vide o caso dos procuradores. Deve ter mais dinheiro em outros jardins.

Autor: luciano lira
%u201CNão farás injustiça no juízo; não favorecerás ao pobre, nem serás complacente com o poderoso, mas com justiça julgarás o teu próximo%u201D. Levítico 19:15

Autor: luciano lira
%u201CAté quando defendereis os injustos, e tomareis partido ao lado dos ímpios? Defendei a causa do fraco e do órfão; protegei os direitos do pobre e do oprimido. Livrai o fraco e o necessitado; tirai-os das mãos dos ímpios. Eles nada sabem, e nada entendem. Andam em trevas%u201D. Salmos 82:2-5

Autor: luciano lira
%u201CAi dos que%u2026justificam o ímpio por suborno, e ao justo negam justiça%u201D. Isaías 5:22a,23

Autor: luciano lira
%u201CTambém suborno não aceitarás, pois o suborno cega os que têm vista, e perverte as palavras dos justos%u201D. Êxodo 23:8

Autor: luciano lira
%u201CNão torcerás a justiça, nem farás acepção de pessoas. Não tomarás subornos, pois o soborno cega os olhos dos sábios, e perverte as palavras dos justos. Segue a justiça, e só a justiça, para que vivas e possuas a terra que o Senhor teu Deus te dá%u201D. Deuteronômio 16:19-20

Autor: luciano lira
Juízes e oficiais porás em todas as tuas cidades que o Senhor teu Deus te dá, segundo as tuas tribos, para que julguem o povo com justiça. Não torcerás o juízo; não farás acepção de pessoas, nem receberás peitas; porque a peita cega os olhos dos sábios, e perverte a causa dos justos. Romanos 13:1-4

Autor: César Augusto Lopes
E a roubalheira vai continuar... Com a benção da "Justiça"...

Autor: Anisio Pinheiro
Será que eles se esqueceram de que as raposas ainda cuidam do galinheiro? E a bandalheira continua por conta de uma decisão caolha e baseada em argumentos equivocados. Comprovadamente vivem em outro mundo e muito distantes de nossa realidade. E os "transtornos inimagináveis" se perpetuam em Brasíli.

Autor: luciano lira
É O FIM DO MUNDO MESMO COMO DIZEM POR AI. NESSE PAIS PODE-SE TUDO SOB A PERMISSAO DA LEI.

Autor: luciano lira
BESTA É QUEM ACHAVA QUE OS HOMENS DA CAPA PRETA IRIA ACEITAR O PEDIDO DE INTERVENÇAO NO DF. O STF ATE HOJE SO CONDENOU UM POLITICO POR CURRUPÇAO E MESMO ASSIM A PENA FOI TRABALHO SOCIAL. DESDE QUANDO SURGIU ESSA CRISE NO DF NAO TEVE UM DIA SEQUER QUE EU ACREDITEI QUE A INTERVENÇAO SERIA ACEITA.

Autor: henrique gomes
Será que Arruda está esondido no porão do STF?

Autor: henrique gomes
Parabéns ao único MINISTRO de verdade - Aires Brito - deveria ter busto na praça dos tres poderes com honrarias por ser defensor da nossa cidade e falar com propriedade de quem vive em e por Brasília. Parabéns excelencia e Deus lhe de vida com saúde e longa, quanto ao resto...

Autor: raimundo perna
Anulem os votos.Façam piquetes.Somente atitudes violentas fazem com q se abra os olhos contra vermes q compõem o nosso governo.LEGISLATIVO,EXECUTIVO E JUDICIÁRIO .São o excremento dos vermes.JUIZES,MINISTROS,DEPUTADOS DISTRITAIS ,FEDERAIS E SENADORES,CARGOS COMICIONADOS,POLÍCIA(EXCETO A FEDERAl),etc.

Autor: henrique gomes
Contra todos os nossos protestos colocaram um modes p/ governar (tampão) tem distrital citado na bandalheira, votanto a despeito de nossos protestos e ministro da suprema corte não vê nenhuma anomalia!!!

Autor: henrique gomes
No senado foi aprovado o fim das penalidades e multa p/ quem não vota, então faremos nós a intervenção - não iremos se quer às urnas de novembro

Autor: henrique gomes
E teve ministro que disse que as instituições estão trabalhando e que a qualidade dos serviços não cairam! Isso porque excelencia não passa se quer pela frente de uma emergência de qualquer hospital no DF. Não assiste nenhum telejornal local - TV a cabo e mordomia afasta da realidade.

Autor: raimundo perna
Éfácil.Rouba-se,saqueia-se,mata-se,passa-se por cima das leis q regem um sistema democrático,e vem os ministros e votam contra o q seria a justiça.Fica a pergunta:em q. situação seria aplicada a INTERVENÇÃO.Temos todos os motivos.Fomos traídos por uma quadrilha travestida de juristas.São tão quanto.

Autor: Velton Velton
É, continuo achando que a solução para o DF é cair em um abismo um milhão de vezes maior que ele. Foi só mais uma decisão covarde do STF. Já era de se esperar...

Autor: GILSON MEDEIROS
O DESVIO DE DINHEIRO SALTA AOS OLHOS DO CIDADÃO EM BRASÍLIA. POLÍTICOS SÃO ELEITOS E O SEU PATRIMÔNIO SE MULTIPLICA 10 VEZES E A JUSTIÇA AINDA NÃO ENXERGA QUE ESSAS PESSOAS ESTEJAM SE BENEFICIANDO EM GOLPES DE CORRUPÇÃO? A ÚLTIMA ESPERANÇA DE ACABAR COM ESSA ROUBALHEIRA SE FOI. PALHAÇADA.

Autor: joao borne
É O POVO QUE VOTE NELES NOVAMENTE,PELAS BAGATELAS,OU QUEM SABE UM PACOTINHO DE CERVEJA E AI TEREMOS MAIS 4 ANOS DE LALAUS NO GOVERNO DO GDF,POVO BURRO COLOCA ELES DENOVO ALI NO BURITIS E NA CAMARA ESTADUAL PARA CONTINUAREM A ROUBAR MAIS COM NOSSA AJUDA OU MELHOR NOSSO VOTO

Autor: William Ferreira
E a profecia está se realizando!! Quem não tiver um dedo na corrupção que levante a mão. TODOS os poderes, tanto do Distrital e do Federal estão corrompidos.. . lastimável.

Autor: Anisio Pinheiro
Blá blá blá blá... e a bandidagem, a esta hora, deve estar comemorando em algum restaurante da cidade. Hoje é dia deles beberem vinho a R$ 20.000,00 a garrafa. Ratos e urubus tomam conta de Brasília. Voto nulo já!!!

Autor: GILSON MEDEIROS
É CLARO QUE OS MINISTROS NÃO ESTÃO NEM AÍ, ELES NÃO UTILIZAM HOSPITAIS PÚBLICOS, ANDAM SEMPRE COM 3 OU 4 SEGURANÇAS, SEUS FILHOS NÃO ESTUDAM EM ESCOLAS PÚBLICAS, NÃO PRECISAM DE REMÉDIOS DE ALTO CUSTO, ETC. A IMPUNIDADE REINA NESTE PAISINHO E O ESTADO É OMISSO AO EXTREMO. QUE VERGONHA.

Autor: GILSON MEDEIROS
SENHORES MINISTROS: OS LARÁPIOS CORRUPTOS DA CLDF AGRADECEM A NEGATIVA DE INTERVENÇÃO NO DF, POIS ASSIM PODERÃO CONTINUAR DESVIANDO DINHEIRO PÚBLICO COM O AVAL DO JUDICIÁRIO. É INCRÍVEL A OMISSÃO DA JUSTIÇA NO BRASIL. NEM A NOTÍCIA DE QUE R$150 MILHÕES HAVIAM SIDO DESVIADOS PELO GDF CHAMOU ATENÇÃO.

Autor: Ricardo Cubas
Agora, só vai faltar uma decisão para fechar o ciclo. Roriz se lança candidato, o ministério público eleitoral impugna a sua candidatura com base no ficha limpa. O TRE declara a inexigibilidade. O TSE confirma. E o STF, sensível aos rorizistas, liberam Roriz para concorrer ao GDF. Só falta isso.

Autor: joao borne
HOJE SOMENTE DOIS HOMENS DA JUSTIÇA,TIVERAM OMBRIDADE E POSTURA DE IREM CONTRA,UM GOVERNO DE ROUBALHEIRA ,O MINISTRO AIRES BRITO E O SR.ROBERTO GURGEL (PGR),AMBOS PROCURAM SIM O BENEFICIO DO POVO BRASILEIRO E DO DISTRITO FEDERAL,LASTIMAVEL A POSTURA DOS DEMAIS MEMBROS STF VOTEM CONCIENTE EM 2010

Autor: luiz ricardo
ISSO QUE EU CHAMO DE UM PLACAR QUE NAUM DEIXA SOMBRA DE DUVIDA, 5 X 1 GOLEAAAADAAA DO BRASIL HEXA HEXA HEXA, GANHAMOS O TITULO DE CAMPEOES, E COMO TROFEU UM NARIZ DE PALHACO.

Autor: Ricardo Cubas
Quanta vergonha, quanta falta de sensibilidade. A corrupção está dando gargalhadas uma hora dessas. Lamentavelmente nosso sistema está irremediavelmente contaminado pelo câncer da corrupção. Parcela de culpa foi a omissão da população do DF. O STF perdeu uma grande oportunidade contra a corrupção.

Autor: wilton pipper15
Quer dizer que os pilantras distritais vão poder continuar roubando e a população idiota de brasília vão votar nesses canalhas por mais 4 anos, haja tanto dinheiro para esses ESCROQUES. BRASÍLIA merece esses pilantras distritais.

Autor: Hugo Pinto
Acho q o negócio é toda a população ir para rua. Seja rico, seja pobre, seja o que for... Quem tem um pingo de vergonha na cara e nojo dessa bandalheira, deve sair as ruas.... Se isso fosse numa França, numa Argentina, estaria todo mundo batendo panela na frente do Tribunal

Autor: Leonardo Moraes
STF vota por PMDB que apóia PT, decisão política.

Autor: Bruna
As eleições estão aí..

Autor: Sergio Souza
Que podre, esta cidade está fedendo cada vez mais!

Autor: Carlos Romeu
Mais uma vez, os palhaços somos nós... agora oficializados pela Suprema Corte. Triste...

Autor: Antonio Marcos
ISSO É UMA VERGONHA, Esses Ministros são contra a Intervenção Federal pois tem rabo preso, poxa será que nada na política do DF não pode passar por uma análise justa e verdadeira, para que os bandidos, corruptos e safados sejam proibidos de assumir cargos no DF. TERRORIZ O REI DAS FAVELAS AGRADECE

Autor: antonio alves
O ministro Aires Brito está muito bem informado.De fato o df sofre de letargia.E com certeza o esquema do Arruda ainda continua, como bem disse o delator na Camara Legislativa.

Autor: Sandra Campelo
Realmente, não há como ter intervenção no DF. NÃO TEMOS UM NOME PARA INTERVENTOR. São tudo farinha do mesmo saco.

Autor: joao borne
É MAIS UMA VEZ O POVO,SERA LESADO EM SEUS DIREITOS,COMO AVAL DO STF E NEM PELA CAMARA PASSARA,QUE CONTINUEM A ROUBAR OS COFRES DO GDF,DIGOALIVIAR O PESO DO DIM DIM DESSES COFRES NOSSOS ,SAUDE,EDUCAÇÃO,SANEAMENTO

Autor: Roger so
Não há motivos para intervenção??? Posso dar "150 milhões de reais" de motivos.

Autor: JAILSON SA
Quem tá rindo da população são os politicos, eba vamos continuar robando.

Autor: sergio gaze
Não é uma surpresa. A canalhice é grande. Nós moradores do df, temos que aguentar conviver com esses corruptos. Não é atoa, os caras ganham uns trinta mil, quando tem um feriado, vão para suas casas de campo, em pirinópolis e etc, tudo as custas desses politicos corruptos que os colocam lá.

Carlos Ayres Britto vota a favor da intervenção no DF

BRASÍLIA - Em sessão do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Carlos Ayres Britto apresentou um contundente voto a favor da intervenção do Distrito Federal . Segundo Ayres Britto, o DF padece de uma "leucemia, ética, democrática e física".

- Para mim, o caso é de hecatombe institucional - disse o ministro.

Segundo ele, a intervenção seria uma excelente oportunidade de fazer uma "profilaxia" e libertar o DF das "garras de um perigoso enquadrilhamento".

Cinco dos oito ministros presentes já se manifestaram contra a intervenção: Cezar Peluso, Ricardo Lewandowski, Carmem Lúcia José Antônio Tofolli e Marco Aurélio Mello.

O ministro Marco Aurélio Mello ainda não votou, mas entrevista exclusiva ao GLOBO se manifestou contrário à intervenção.
O Globo

Intervenção no DF traz mais benefícios a cidadãos
Por Aldemario Araujo Castro
Em manifestação dirigida ao Supremo Tribunal Federal no início do mês de fevereiro, o ilustre procurador-geral da República, Roberto Gurgel, requereu intervenção no Distrito Federal (mais especificamente, nos Poderes Executivo e Legislativo, conforme esclarecimentos posteriores). O requerimento aludido invoca o artigo 34, inciso VII, alínea “a”, da Constituição, como fundamento para a medida extrema (“A União não intervirá nos Estados nem no Distrito Federal, exceto para: … VII - assegurar a observância dos seguintes princípios constitucionais: a) forma republicana, sistema representativo e regime democrático;”).

Nos últimos dias, a imprensa noticia uma forte movimentação da Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal contra a decretação da intervenção. Segundo declarações do eminente Presidente da OAB-DF, Francisco Caputo, a autodeterminação política do povo do Distrito Federal não deveria ser afetada eis que os serviços públicos e as instituições funcionam normalmente.

Com todo o respeito que merecem a OAB-DF e o seu digno presidente, o atual contexto histórico vivenciado no Distrito Federal reclama a intervenção, ajustando-se aos ditames constitucionais para a adoção da providência excepcionalíssima.

A intervenção pressupõe uma resposta positiva, do Supremo Tribunal Federal, a seguinte pergunta: na atual quadra histórica do Distrito Federal encontram-se significativamente (e suficientemente) comprometidos: a) o princípio republicano de comportamento político-institucional; b) o sistema representativo e c) o regime democrático?

Infelizmente, a resposta, na nossa modesta opinião, é um sonoro e categórico SIM!

A análise não passa pela constatação da existência de um funcionamento formal das repartições públicas (estão de portas abertas, os telefones tocam, os documentos são carimbados, etc) ou dos serviços públicos (os semáforos acendem e apagam, os policiais estão nas ruas, as sirenes tocam, etc). Trata-se de uma avaliação substancial quanto à observância dos princípios antes alinhados nas mais relevantes manifestações do poder político distrital (nas relações internas no Poder Executivo e no Poder Legislativo, nas relações entre o Poder Legislativo e o Poder Executivo, nas relações entre os governantes e a sociedade civil, entre outras).

É bem verdade que os princípios referidos, assim como os princípios de uma forma geral, possuem uma certa plasticidade, um certo grau de indeterminação. A dificuldade de enquadramento de situações ou casos nas normas-princípios é, de certa forma, natural. Ademais, uma decisão tão grave como a intervenção não pode estar fundada em subjetivismos, voluntarismos, avaliações e conveniências político-partidárias, gostos ou inclinações pessoais, e outros elementos nesses sentidos.

Ocorre que os princípios funcionam, na atualidade, como os principais veículos de introdução de valores na ordem jurídica. Os princípios em questão impõem costumes políticos baseados na transparência (ou publicidade), na conduta pautada em padrões éticos adequados, na busca da realização do interesse público, no respeito ao patrimônio público, entre outros vetores igualmente importantes.

Nessa linha, existem contundentes dados objetivos, fatos públicos e notórios, para além de qualquer subjetivismo, que demonstram a significativa e suficiente corrosão, nos círculos mais importantes dos poderes políticos distritais, dos princípios republicano, representativo e democrático. Vejamos os elementos mais salientes, sem esgotá-los, até porque são produzidos e assistidos diariamente, como que numa novela de terror:

a) os veementes indícios (na forma de filmes e outros documentos) que apontam para a provável (mais do que possível) existência de uma ampla rede de corrupção envolvendo diretamente o governador do Distrito Federal e uma quantidade considerável de assessores diretos, deputados e empresários. Ressalte-se que existe algo em comum, ao menos nos filmes que vieram a público: maços volumosos maços de dinheiro, que mudam de mãos com a maior “tranquilidade” e “naturalidade” (um verdadeiro deboche para com a cidadania);

b) a inviabilidade prática da Câmara Legislativa do Distrito Federal dar andamento efetivo e expedito a investigações sérias, ante os envolvimentos diretos e as múltiplas vinculações e comprometimentos políticos, observados em todos os tipos de esquivas;

c) um inquérito (no âmbito da operação “Caixa de Pandora”, conduzida pela Polícia Federal) com dezenas e dezenas de filmes e referências de várias naturezas a atos de corrupção de inúmeros deputados, do primeiro escalão do Executivo distrital e de parte ponderável do empresariado local;

d) a tentativa de suborno de um jornalista, fartamente documentada, conduzida diretamente pelo principal núcleo do poder político do Distrito Federal;

e) a inédita prisão (cautelar) do governador do Distrito Federal. Registre-se que a Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça decretou a prisão para garantir a ordem pública, entre outros motivos (Inquérito 650-DF). Assim, o segundo Tribunal mais importante do País atestou expressamente o atual comprometimento da ordem pública no Distrito Federal. Merece uma consideração especial o “apego” insuperável do governador do Distrito Federal ao cargo. Ao manter-se no posto, “contra tudo e contra todos”, gera uma profunda instabilidade político-institucional na cúpula do Poder Executivo distrital e inviabiliza o processo “normal” de sucessão, inclusive com a escolha, pela Câmara Legislativa, de um governador para concluir, com um mínimo de estabilidade, o atual período de governo;

f) a manutenção da prisão cautelar do governador do Distrito Federal pelo Supremo Tribunal Federal, na medida em que o nobre Ministro Marco Aurélio não concedeu liminarmente habeas corpus voltado para a liberação do preso;

g) a renúncia do então vice-governador do Distrito Federal, no exercício do cargo de governador naquele momento, ante as inúmeras e graves denúncias e a inviabilidade de obtenção de apoio político-parlamentar para se manter no posto;

h) a “posse” do terceiro governador (o presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal) em menos de trinta dias. É inegável que a sucessão de comandos na Administração Pública distrital cria tensões, descontinuidades, e toda sorte de dificuldades para a adequada condução dos negócios públicos;

i) a decisão da Executiva Nacional do (partido) Democratas no sentido do afastamento dos filiados de todos os cargos na Administração Pública do Distrito Federal. Perceba-se que não se trata de um desligamento da direção superior do Executivo, mas de todos os níveis da Administração (sinalizando claramente um quadro de comprometimento geral da máquina administrativa);

j) o próprio pedido de intervenção formulado pelo Procurador-Geral da República, autoridade com todos os predicados de um homem ponderado, sem inclinações para aventuras ou radicalismos.

Assim, nunca antes na história deste país houve um tão cabal e notório comprometimento visceral dos níveis decisórios mais elevados de um ente da Federação. Se a situação vivenciada não reclama intervenção, somente a paralisia física, a imobilidade completa, dos órgãos e instituições públicas autorizariam a medida extrema.

Não acreditamos que o constituinte da definição de um Estado Democrático de Direito tenha inscrito o instituto da intervenção somente para a situação terminal, extrema ou absoluta, algo como o epitáfio do ente da Federação. Pensamos que a intervenção pode e deve, se for o caso, e é o caso, concorrer para se evitar a situação de completa falência ou comprometimento das instituições locais. Observe-se que o constituinte trabalha com a processualidade, com a dinâmica da vida político-social, tanto para alcançar situações positivas como para evitar as negativas. O artigo 3º do Texto Maior fala em construir uma sociedade livre, justa e solidária. Já o artigo 60, parágrafo quarto, da Carta Magna, proíbe a deliberação sobre proposta de emenda tendente a abolir certas definições fundamentais.

Importa destacar que a intervenção no Distrito Federal efetivamente afeta (arranha) a autodeterminação política do povo local. Entretanto, esse “arranhão” é muito tênue ante o tamanho da afronta aos mais caros princípios (e valores) a serem observados na arena político-social, notadamente o profundo e vil golpe desfechado contra a própria auto-estima do povo do Distrito Federal.

Em suma, o povo do Distrito Federal exige e merece sua autodeterminação política. Mas não a autodeterminação como veículo meramente formal, protetor do império da corrupção, da impunidade e das práticas mais censuráveis jamais vistas, literalmente vistas, na história da República. É melhor, é infinitamente melhor, um curto eclipse na autodeterminação política local, sob controle, vigilância e acompanhamento da Nação brasileira, do que a convivência forçada e surrealista com dinheiros “sujos” nas bolsas, nos bolsos, nas meias, nas cuecas e com todas as consequências daí decorrentes. Superado o breve eclipse, teremos a retomada do pleno exercício da autodeterminação do povo do Distrito Federal em outras e mais sadias bases.

A providência extrema da intervenção é o remédio extremo (e amargo) para o quadro de extrema afronta aos mais elementares e caros princípios norteadores da prática político-institucional a serem rigorosamente observados no exercício do poder político no Distrito Federal.

Prezados integrantes dos Caras e Coroas Pintados

Se você é favorável a Intervenção Federal no Distrito Federal participe do ato simbólico a ser realizado em frente ao Supremo Tribunal Superior, na próxima quarta-feira, dia 7/04/10, a partir das 17 horas.

Mesmo que você não seja favorável a que haja uma completa varredura em todas as esferas do poder Executivo e do Legislativo de Brasília, distribua o convite na sua rede de e-mails. Permita àqueles que são favoráveis a tomarem conhecimento do evento.Isso é cidadania.

Esse é um movimento suprapartidário e composto de cidadãos que querem bem à cidade e que entendem que ela, intervenção, será, não só um instrumento no combate à corrupção, mas um belo exemplo que Brasília dará não somente a sua cidade mas a todas as esferas do poder de todo o país.


Nosso sempre poeta, escritor e sociólogo, na verdadeira acepção da palavra, Eugênio Giovenardi, recebeu essa carta de sua neta, que hoje tem 10 anos.
Ela vive no ano de 2060, já tem 60 anos e passeia com a sua neta, tataraneta de Eugênio Giovenardi. Será que nossos netos e tataranetos poderão desfrutar das maravilhas descritas por Luíza, neta de Eugênio? Acho que isso depende um pouco de cada um de nós.
Repassem ao seus amigos internautas.
Heliete

CENTENÁRIO DE BRASÍLIA

Carta que minha neta Luiza me enviou, em 21 de abril de 2060.

Hoje, Brasília completa 100 anos. Subi na Torre de TV com minha neta. A cidade e arredores parecem uma imensa floresta. O Parque da Cidade, desde 2035, foi remodelado depois da proibição da entrada de carros. Chega-se até o Parque de ônibus circular ASANORTE/PARQUE (ANP), de metrô de superfície (MS) ou de bicicleta. Nos antigos estacionamentos, há escolas de pintura, de música, de danças e ginástica.

A vista do Lago é magnífica. O Passeio da Orla, sombreado por elegante arborização, inaugurado em 2030, recebe milhares de brasilienses, diariamente, para longas caminhadas. Uma empresa comunitária, sob fiscalização eletrônica, faz a manutenção e limpeza do Passeio e administra as cabanas de refrigério ao longo das duas pistas. Uma, para bicicletas. Outra, para caminhantes.

Com as novas leis do trânsito, adaptadas às determinações do Comissariado Mundial do Ambiente, a maior parte do transporte urbano é público e movido a energia solar ou elétrica. Desde 2050, a população se desloca por meio de bicicletas ou motoelétricas. Finalmente, com a pressão intensa dos cidadãos, o transporte público reduziu o número de automóveis ao mínimo necessário: ambulâncias, bombeiros e taxis de emergência. As avenidas, agora sombreadas, servem aos ciclistas e motolétricos.

Os estacionamentos são, em sua maioria, pequenos e agradáveis parques com chafarizes, alimentados com águas da chuva retida em reservatórios subterrâneos, espalhados pela área de Brasília e cidades-satélites. Quase todos os estacionamentos foram transformados em centros de cultura, de saúde e laboratórios de pesquisa. A quebra da Petrobraz, em virtude da abolição do uso de combustíveis sujos, desvalorizou milhões de carros que ficaram impedidos de trafegar. Seus proprietários os utilizam como pequenos quiosques, ao longo das ciclovias, para vender refrigerantes, sorvetes e lanches.

Com os estímulos e a descentralização dos serviços públicos para as cidades-satélites, Brasília e seus monumentos arquitetônicos atraem mais turistas e visitantes do que cidadãos em busca de soluções burocráticas. Os mesmos estímulos e descentralização foram aplicados nos Estados da Federação, levando centenas de milhares de moradores do Distrito Federal a voltarem a suas cidades de origem ou ir para áreas especiais de exploração da permacultura, e alimentos orgânicos.

Além disso, a Lei Demográfica, de 2028, recomendou e pôs em prática um plano de decrescimento da população. Depois da implantação da rede escolar eletrônica, em 2052, os alunos do primeiro e segundo graus e parte dos universitários, assistem às aulas por computador em suas casas ou salas adaptadas nos edifícios e quadras onde moram. O mesmo acontece com as consultas médicas encaminhadas através de um serviço de saúde pública, eletrônico, individual e comunitário, pelo qual os pacientes recebem as orientações, medicações ou recomendações especializadas. A qualidade e a oportunidade do ensino e do atendimento sanitário são as mesmas para todos os cidadãos. Reduziram-se os custos sociais e se utilizam os impostos para outras finalidades, além de sobrar mais dinheiro do salário familiar no fim do mês.

Uma nova Lei do Lazer foi instituída, em 2055, promovendo a construção de arenas e teatros, agregados a bibliotecas comunitárias, nos espaços desocupados por automóveis, para execução de orquestras, conjuntos musicais e representação dramatúrgica. Um apreciado programa de arte e cultura para todos.

Brasília e todas as comunidades que a rodeiam parecem um imenso parque, onde cantam, nas madrugadas, milhares de pássaros de todas as cores. Nele correm águas cristalinas que brotam de nascentes recuperadas, graças à intensa arborização e proteção das árvores nativas e outras espécies adaptadas. A ideia nuclear do projeto do arquiteto Lúcio Costa de construir cidades-parque, para felicidade de nossa geração e com nossa participação cotidiana, foi compreendida e executada.
Cem anos é um tempo suficiente para aprender lições que servem para os que vêm depois de nós.
Eugênio Giovenardi


Brasília: o todo e a parte
Mauro Santayana

A autonomia do Distrito Federal foi um erro da Assembléia Constituinte de 1988. Brasília é a sede da República Federativa, não é um estado. Trata-se de território neutro, como passou a ser a cidade do Rio de Janeiro, a partir do Ato Adicional de 1834, até a inauguração de Brasília. A cidade não se pertence, nem pertence aos estados de que a área foi desmembrada, de acordo com a Constituição de 1891. A cidade pertence ao Brasil como um todo, aos cidadãos de todos os estados federados. Sendo a sede da República, não pode ser sede de nenhum outro poder político. Sua razão de ser é o todo, não a parte.
Isso não implica que a cidade não disponha de uma câmara de vereadores, como havia no velho Distrito Federal, que proponha medidas de interesse da comunidade e fiscalize o cumprimento de posturas municipais. Todas as outras ações de governo, entre elas os investimentos de infraestrutura, terão que ser decididas e fiscalizadas pelo Parlamento, em nome da Federação. Não são os cidadãos de Brasília, mediante governos que elejam, os senhores para decidir sobre a urbanização da cidade e, muito menos, sobre as suas relações com o governo federal. O governo federal terá de ser soberano sobre o território de sua sede.

A autonomia política (porque se trata de autonomia política) do Distrito Federal é uma ofensa ao senso comum e uma agressão ao pacto federativo nacional. A primeira objeção a essa autonomia é de natureza política essencial. A cidade fará 50 anos em abril; sua história não se sedimentou, nem se nutre de raízes antigas. Os servidores públicos que trabalham em Brasília quase sempre votam em seus estados de origem, em que têm famílias e interesses, e raramente se preocupam com a participação direta na política local. Isso transforma o Distrito Federal em terreno fértil para o aventureirismo demagógico. Logo depois da autonomia, na formação da Câmara Distrital, houve alguns candidatos de bom nível, ainda que poucos se elegessem. A partir de então, de eleição em eleição, esse nível foi caindo, até chegar ao descalabro da atual legislatura, em que poucos representantes podem ser vistos como probos.

Esses vereadores, porque disso não passam, gastam o dinheiro da Federação – de onde saem quase todos os recursos do Distrito Federal – em projetos absolutamente inúteis, entre eles a construção de suntuosa sede para eles mesmos. Isso sem falar nos gastos de manutenção da casa que são proporcionalmente muito superiores aos do Congresso Nacional, já em si estratosféricos.
Os vereadores de Brasília, nessa ilusão de que a torção da semântica estabelece a realidade, intitulam-se “deputados”. O poder executivo comunga do mesmo non sense, ao dar às secretarias administrativas da cidade a denominação de secretarias de Estado. O Governo Federal não interfere – em negligência condenável – nos assuntos do Distrito Federal, limitando-se, em nome de interpretação literal da Constituição, a repassar ao governo local os recursos para o custeio da parte mais onerosa das despesas com seu funcionalismo – o mais bem pago do país.

Para usar os adjetivos certos, não se trata apenas de corruptos, corruptores e corrompidos – como os acusados pela Polícia Federal e pelo Ministério Público -, mas de pessoas com escasso conhecimento de seus limites constitucionais e do que seja o estado republicano. Em 2006, o MPF considerou que, das 287 leis aprovadas pela Câmara Distrital, 207 eram inconstitucionais. O STF julgou, em 80% dos casos, procedentes as ações de declaração de inconstitucionalidade contra leis da Câmara do Distrito Federal. Chegamos ao paradoxo constrangedor: a mais incompetente e, provavelmente, mais indesejada ´”classe política” do Brasil - no apodrecimento da definição de Gaetano Mosca - se encontra na direção da mais importante cidade brasileira, Brasília, a capital da República.

É hora certa para que a Federação reaja. É chegado o momento para que os deputados federais e senadores, representantes do Brasil inteiro, aprovem emenda constitucional que devolva o Distrito Federal aos brasileiros de todo o país, ao revogar o ato de insensatez que deu autonomia política à cidade.

O REINO E A PERIFERIA

Um distrito de portas abertas à corrupção
A concentração de poder administrativo e de recursos federais nas mãos do governo do DF aduba o terreno para negociatas
À mercê de intervenção federal e vítima do mais bem documentado esquema de corrupção do país, o Distrito Federal (DF) começa a ter questionada sua própria autonomia política.

Como a Constituição expressa que o DF não pode ter municípios, as cidades-satélites abrigam 2,2 milhões de pessoas proibidas de eleger prefeitos. Seus administradores são indicados pelo governador, criando um círculo vicioso que alimenta a corrupção e faz crescer o abismo social nos arredores da capital do país.

– Essa intermediação abre portas para o desvio de recursos. O dinheiro para saúde, educação não chega às cidades-satélites – diz o cientista político Ricardo Caldas, professor da Universidade de Brasília (UnB).

Para Caldas, o ideal seria transformar as cidades-satélites em municípios integrados a Goiás. Ceilândia, por exemplo, teria hoje cerca de 500 mil moradores. O DF se resumiria então a Brasília, que seria administrada por um prefeito eleito ou indicado pela Presidência da República.

De acordo com o professor, a atual estrutura administrativa favoreceu a proliferação de ambientes corruptos que resultaram no mensalão do DEM. Com a população das periferias anestesiada por gestões assistencialistas e uma injeção de recursos federais inferior apenas aos recebidos por São Paulo, Brasília teria se tornado um reduto fértil para uma elite política parasitária.

– Os trabalhadores de baixa renda foram centrifugados para as cidades-satélites e estão esquecidos. Isso não vai mudar porque há uma casta corrupta que se protege – afirma o geógrafo urbano Aldo Paviani, professor aposentado da UnB.

Um dos fatores que justificam a emancipação das cidades-satélites é a dependência financeira do DF em relação à União. Do orçamento de R$ 19,6 bilhões para 2009, 39% foi proveniente de repasses federais. São R$ 7,8 bilhões que custearam a manutenção das redes de segurança pública, saúde e educação. Com uma população quatro vezes superior, o Rio Grande do Sul recebeu do governo federal no mesmo período menos da metade desse valor (R$ 3,8 bilhões).

– Se há algo de positivo nessa crise é a possibilidade de se discutir a forma como se estruturou o DF. A Constituição de 1988 igualou o DF a um Estado, mas não há atividade econômica compatível – diz o historiador Marco Antônio Villa, professor da Universidade Federal de São Carlos.

A estratégia do loteamento

Do PIB de R$ 89 bilhões do DF, 55% provém da administração pública. O resultado é a discrepância sócioeconômica entre os habitantes do Plano Piloto, em geral servidores públicos bem remunerados, e os das cidades-satélites, onde se concentram os piores índices de desenvolvimento humano da região. Na Vila Estrutural, a cidade mais próxima de Brasília, 15% da população sobrevive da coleta de lixo. Grande parte desses habitantes foi atraída para a região por uma política de concessão de terrenos patrocinada pelo governo do DF. A iniciativa gerou um inchaço no entorno da Capital, ajudando a consolidar líderes políticos quase sempre vinculados ao governo.

Dos 24 deputados distritais, pelo menos três fizeram carreira política como administradores de cidades-satélites. Vice-líder do governo, o deputado José Matildes Batista (PRP) fundou as duas principais entidades habitacionais da região. Até 2007, ele mantinha empregados no governo a mãe, quatro irmãos, dois cunhados, uma ex-companheira e o padrasto.

Pessimista, o diretor executivo da ONG Transparência Brasil, Cláudio Weber Abramo, acredita que uma eventual emancipação, embora resulte em independência administrativa e financeira, não iria alterar o quadro de degradação política do DF:

– O que aconteceu em Brasília não é diferente do que ocorre em outros Estados. A diferença é que eles foram flagrados.

FÁBIO SCHAFFNER | Brasília
Coisas da Política

A crise da razão política e a maldição de Brasília

Mauro Santayana

Todos os pensadores políticos, de Aristóteles a Hans Kelsen, passando por Maquiavel e os filósofos moralistas ingleses e franceses, advertem contra o mau exemplo dos grandes. Uma sociedade apodrece quando seus líderes perdem a virtude do mando. Perón usou – em meio à conspiração que o derrubaria – uma boa frase, quando descobriu que seu cunhado, depois da morte de Evita, estava praticando falcatruas: “los gobiernos, como el pescado, empiezan a pudrirse por la cabeza”.

Aristóteles, em “Ética a Nicômaco” assegura que o comportamento ético se adquire com o hábito de agir corretamente. O habito da virtude fortalece e aumenta a virtude, qualquer virtude, e ele dá o exemplo da coragem: é com o hábito de enfrentar o perigo, que nos tornamos corajosos; e é quando nos tornamos corajosos que nos encontramos no máximo grau de enfrentar qualquer perigo. A mesma idéia serve para o processo septicêmico das sociedades políticas. É quando nos sentimos covardes que tememos até mesmo os ratos: e é a ousadia dos grandes corruptos que torna as sociedades lenientes com a corrupção.

“Há muito tempo se diz que a boa-fé é a alma de um grande governo”, assim Montesquieu inicia uma de suas “Cartas Persas”, que serviram de modelo às “Cartas Chilenas”, de Tomás Antonio Gonzaga. Ele se refere, em seguida, a uma hipotética nação das Índias, naturalmente generosa, “pervertida em um instante, do menor de seus indivíduos, ao maior deles, pelo mau exemplo de um ministro”. Montesquieu vai adiante: “Vi nascer, de repente, uma sede insaciável de riquezas. Vi formar-se, em um momento, detestável conjuração em busca do enriquecimento, não por um trabalho honesto e uma indústria generosa, mas, sim, pela ruína do Estado e de seus concidadãos”.

O que define a ética de um homem de Estado é sua ação na defesa da sociedade que lidera, na busca da igualdade e da justiça. Mas mesmo se for senhor das mais excelsas virtudes pessoais, ele terá que obedecer a uma vontade maior e acima de seus próprios valores: a lei.

Os legisladores estão fugindo dos princípios e valores aos quais se atavam. Esse é o caso, por exemplo, da situação de Brasília. Durante o governo militar, a cidade foi feudo de contubérnios entre os ditadores de turno, empreiteiros, jornalistas acomodados e servidores públicos de alto nível. O sistema de mordomias tornava a cidade a Ilha da Fantasia. Os grandes jantares, oferecidos pelos ministros, eram de invejar armadores gregos, com faisões, caviar Beluga, vinhos importados. Não havia limites para a ostentação. Um dos ministros, morando em residência do governo, mandou fazer uma piscina em forma de J, porque se chamava Jost.

Assim como o hábito da virtude consolida a virtude, o vício infla o vício, e Brasília se tornou cidade assolada pela corrupção. As “mordomias” deixaram de existir com a redemocratização de 1985, por prévia determinação de Tancredo. Só o Presidente e o Vice-Presidente teem hoje sua despensa abastecida pelos contribuintes. Mesmo assim, durante seu curto governo, Itamar foi cuidadoso com esse direito. Quando seus auxiliares almoçavam com o Presidente, as despesas eram quase sempre divididas. Seu governo só ofereceu jantares protocolares aos chefes de Estado estrangeiros, nas visitas e reuniões oficiais, como as do Mercosul.

O fato é que a Constituição de 1988, com a autonomia, facilitou o incremento da corrupção em Brasília. Durante os últimos vinte anos – e devemos excetuar o governo de Christovam Buarque – a infecção aumentou, até chegar à calamidade atual. Só a intervenção, como primeiro passo, e o retorno da situação política de Brasília à lei 3.751, de 13 de abril de 1960, que definiu os estatutos da nova capital, poderão recuperar a cidade, e, assim, ajudar no saneamento ético da política brasileira. A lei, cujo cumprimento foi, em parte, interrompido pelo governo militar, determinava a nomeação de um prefeito pelo governo federal e a eleição de uma câmara municipal com vinte vereadores. Hoje todos agem como se Brasília fosse um estado de plenos direitos federativos.

Cresce o consenso nos meios políticos e jurídicos de Brasília que a intervenção é medida que se impõe na urgência, até que se revogue a maldiçoada autonomia.
Dia 18/01/2010, entidades comunitárias foram recebidas, pelo Procurador Exmo. Dr. Gurgel para entrega do pedido de intervenção federal no GDF.

Dia 11/02/2010 - PGR anuncia que vai pedir intervenção federal no Distrito Federal
Pedido deve ser feito ao Supremo ainda nesta quinta, segundo o órgão.

STJ decretou nesta tarde prisão do governador José Roberto Arruda.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) anunciou nesta quinta-feira (11) que vai pedir no Supremo Tribunal Federal (STF) intervenção federal no governo do Distrito Federal. Caso o pedido seja aceito, o poder Executivo poderia nomear um interventor para substituir o governador José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM).
O pedido deve ser analisado em plenário pelos ministros do STF. Enquanto o pedido de intervenção não é analisado, deve assumir o governo o vice-governado do DF, Paulo Octávio (DEM).


Hoje 18/01/2010, entidades comunitárias foram recebidas, pelo Procurador Exmo. Dr. Gurgel para entrega do pedido de intervenção federal no GDF, em função das denúncias de conhecimento público envolvendo os três poderes do DF. Dr. Gurgel, muito atencioso, educado e muito preocupado com os fatos ocorridos em nosso Distrito Federal, adiantou-nos que ações estão sendo adotadas, mas que elas tem que ser tomadas com muita cautela, com todo o embasamento documental e respeitando o trâmite jurídico, com intuito que qualquer ação adotada hoje possa ser questionada no futuro. Parabenizou a iniciativa e a preocupação da comunidade, ouvindo atentamente por mais de uma hora as manifestações da lideranças presentes.
ESCLARECIMENTO. As publicações nesta Rede Social, com manifestações a favor ou contra o atual governo do Distrito Federal são de responsabilidade individual de quem a publicou. O “COROAS PINTADOS” é um movimento criado a partir da reunião para a assinatura do documento solicitando à PGR intervenção Federal no Governo do Distrito Federal, caso confirmadas as denúncias apresentadas. Movimento de CIDADÃOS , não de entidades, nem de partidos políticos, preocupados com a cidade e com a possível falta de governabilidade que o momento traduz.

Fórum

ASSENTAMENTO EM ÁREA INAPROPRIADA - PLANALTINA 3 respostas 

Caros amigos!Escrevo-lhes para informar de mais uma tragédia que está para ocorrer a nossa combalida Brasilia.A Gerencia de Patrimonio da União - escritorio do DF juntamente com o INCRA querem…Continuar

Iniciado por Coroas Pintados. Última resposta de PREFEITURA SETOR DIVERSÕES SUL 21 Fev, 2010.

MPDFT tenta impedir ação de distritais suspeitos

Ministério Público tenta impedir que distritais suspeitos analisem caso Arruda na CâmaraPublicidadeMÁRCIO FALCÃOda Folha Online, em BrasíliaOs oito deputados distritais suspeitos de envolvimento no…Continuar

Iniciado por João Guilherme Nunes Cruz 13 Jan, 2010.

Parque Ecológico Bernardo Sayão (SHIS QIs 27/29)

Parque Ecológico Bernardo Sayão (SHIS QIs 27/29)Qual a razão da omissão?O parque ecológico Bernardo Saião é uma área remanescente de cerrado nativo localizada numa faixa ao longo da via DF 001 tendo,…Continuar

Iniciado por kleber de souza senna 13 Jan, 2010.

CAIXA DE PANDORA

Prender sim. Mas, não basta prender . E´hora da maioria silenciosa sair do silencio e se manifestar,nem que seja continuando a campanha da OAB, com meias brancas voando nos carros por uma Brasília…Continuar

Iniciado por Coroas Pintados 13 Jan, 2010.

Fotos

Carregando...
 
 
 

© 2014   Criado por Coroas Pintados.   Ativado por

Relatar um incidente  |  Termos de serviço